InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
Top dos mais postadores
Fractius (227)
 
Baqi (97)
 
Branca (91)
 
Danto (74)
 
King Werneck (29)
 
Frazz (20)
 
Njörd (14)
 
Richard Spencer (12)
 
Narrador NYC (11)
 
Rolador de Dados (10)
 
Os membros mais ativos da semana

Compartilhe | 
 

 Ato I - Alfred Willian Lancaster

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Danto

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 74
Data de inscrição : 04/10/2014
Idade : 26
Localização : Vitória-ES

MensagemAssunto: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Sab Out 25, 2014 3:50 am



Londres, Março de 1899. East End, Refugio de Alfred.

Alfred ainda não se sentia completamente a vontade em sua nova cidade, o clima era estranho de mais, a constante ameaça da chuva forçava as pessoas a andarem por todos os cantos com suas capas, chapeus e guarda-chuvas. A cidade era cercada por enormes construções e pelas grandiosidades capitalistas que faziam valer o fato de Londres ser o Coração da Grã-Bretanha. Essa era oficialmente a segunda noite de Alfred na cidade e haviam protocolos a serem seguidos, o primeiro deles era a apresentação ao Principe da Cidade e ao Prímogeno, a apresentação diante o misterioso Mithras não era a principal preocupação do experiente gangrel, mas sim, apresentar-se diante aquele que certamente não gostaria de vê-lo vivo. A pequena casa de Alfred se localiza em East End, a parte mais periférica da grande cidade de Londres. Cheia de cortiços e construções tortuosas que empilham várias familias, ameaçada constantemente pelas forças do Sabá. E era dentro de sua casa que o Gangrel despertava para sua segunda noite na cidade, dos céus caiam pequenos filetes de água que batiam contra a janela em um ritmo suave, porem, ligeiramente irritante. De acordo com as informações recebidas previamente, o primógeno Gangrel se instalava também em East End, enquanto a sede da Camarilla estava mais próxima do centro da cidade.

_________________

I cried tear of love as I,
with sharp things,
sacrificed that which was the frist part of my joy,
my brother.

And the Blood of Abel covered the altar
and smelled sweet as it burned.

But my Father said,
"Cursed are you, Caine,
who killed your brother.
As I was cast out so shall you be."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Njörd

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 14
Data de inscrição : 16/10/2014
Idade : 26

MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Dom Out 26, 2014 9:39 pm

Os dias passavam como se fossem minutos para àqueles na mesma condição de Alfred, os anos eram muitos mas passavam como dias em um interminável gotejar de eternidade. Aquele segundo dia era como o passar de mais uma hora no confinamento eterno de seu cadáver movido a sangue humano, alguns cainitas mais antigos como bem sabia o Gangrel, eram movidos apenas por sangue imortal, de suas próprias crias muitas vezes.

Aquela chuva irritante lhe lembrava o dia de seu Abraço, quando seu Senhor sem pedir-lhe permissão o levou para aquele mundo macabro e sombrio que se encontrava. Era uma noite chuvosa e fria, Rob era um explorador novato em busca de aventuras junto de seus amigos, mas naquela noite se distanciaram muito do condado onde residiam, o pai de um dos garotos que do grupo estava acompanhando-os, e decidiu por esperar a chuva passar em uma caverna, aquela havia sido a pior decisão do pobre homem. Pois aquilo que dormia na caverna estava com fome, e sua fome só seria saciada com o néctar humano, o sangue.
Mais de um século se passou desde aquela noite, mas Rob ainda lembra-se das gargantas rasgadas de seus amigos satisfazendo sua nova fome.

O cainita chacoalhou a cabeça para espantar as memórias de sua época mortal, sabia por experiência que esses devaneios cessariam com o tempo, devido aos outros Membros mais antigos dos quais o mesmo encontrou que pouco se lembravam se haviam realmente sido humanos algum dia.

O Gangrel pegou sua capa de chuva pesada e caminhou em direção a porta da frente. Verificou se sua "faca de emergência" estava amarrada firmemente ao tornozelo, bem oculta pela calça. A capa de chuva pouco servia, ele já havia se acostumado com viver na floresta, mas nos últimos tempos com o aumento dos lupinos, esta ideia já se encontrava fora de cogitação. Em sua cabeça, o Príncipe era o menor dos problemas, apesar das lendas e contos sobre seu nome, O Grande Mithras, Soberano de Londres, o maior Sangue Azul que já pisou na terra. Ele não temia o matusalém, embora fosse mais sadio temê-lo. O refúgio do Primógeno do clã na cidade seria a primeira parada, além de ser mais perto do que o local onde a Camarilla dominava.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Danto

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 74
Data de inscrição : 04/10/2014
Idade : 26
Localização : Vitória-ES

MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Ter Out 28, 2014 4:38 pm

Londres era rica e isso fazia com que os humanos da cidade fossem ainda mais ricos do que os outros de toda a Europa e do já não tão novo mundo, entretanto, tanta riqueza não corria de maneira igual por todos os humanos. East End era certamente o lugar mais distante desse rio de dinheiro que corria pelos pés dos mais afortunados e burguêses, as ruas de East End durante o dia eram fedidas e emporcalhadas por feiras mal feitas e repleta de pequenos ladrões menores de idade. Mas quando o sol se escondia e as trevas engoliam a poderosa Londres, East End sofria profundamente com uma onda de ataques violentos, assassinatos, roubos a lojas, prostituição, trafico de mercadorias exóticas... Quando as cenas de sexo explicito nas ruelas e becos não surpreendiam os desavisados, os ladrões e certificavam em garatir o susto. A chuva caia e carregava consigo os vegetais velhos e quase em decomposição, aglomerando-os em volta de pedaços de feno e restos de madeiras das feiras, isso gerava um aglomerado de lixo em várias esquinas e favoricia a presença de ratos e doenças. Viver em East End era um verdadeiro inferno!
Tudo isso era apenas um detalhe chato se comparada a presença do Sabá naquela região, uma presença ainda incalculável e que só se fazia conhecida quando a mesma resolvia atacar....

Alfred caminhava na direção dos domínios do Primógeno Gangrel quando fora surpreendido, a menos de uma quadra do local, pela presença do braço direito do Xerife da região. O nome do sujeito ainda lhe era desconhecido, mas entre vocês e o Xerife havia algo em comum: O Clã. Apesar é claro, do jovem delegado do Xerife ser da linhagem urbana da família. O sujeito saia por uma das ruelas imundas da região e parava a poucos metros a sua frente, cruzando os braços e indagando:

-Boa noite, notar que és um Membro não é uma tarefa ardua. Mas me pergunto, quem seria o estrangeiro a caminhar abertamente pelas terras de Mithras?


Delegado do Xerife:
 

_________________

I cried tear of love as I,
with sharp things,
sacrificed that which was the frist part of my joy,
my brother.

And the Blood of Abel covered the altar
and smelled sweet as it burned.

But my Father said,
"Cursed are you, Caine,
who killed your brother.
As I was cast out so shall you be."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Njörd

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 14
Data de inscrição : 16/10/2014
Idade : 26

MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Ter Out 28, 2014 6:24 pm

- Lancaster, Willian Lancaster.

Disse o gangrel ao encontrar o delegado do Xerife de East End, apesar do homem vestir-se com roupas um tanto esfarrapadas, ele ainda dividia a mesma linhagem de Rob. Não aguardando uma resposta, respondeu em um tom amistoso:

- Se o que lhe preocupa delegado é a Máscara, saiba que sou um defensor ferrenho da mesma, assim como você. Esta mesma noite, me apresentarei ao Príncipe, apenas preciso trocar algumas palavras com o representante de "nosso clã" no conselho desta cidade.


Obs.: Ênfase no "nosso clã"
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Danto

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 74
Data de inscrição : 04/10/2014
Idade : 26
Localização : Vitória-ES

MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Qua Out 29, 2014 4:10 am

O jovem Gangrel tirou o chapeu velho da cabeça, deixando os cabelos de corte militar e levemente castanhos a mostra, para então fazer uma breve reverência amistosa e que não significava nada menos do que respeito por um antigo. Assim, logo após o movimento e enquanto colocava novamente o chapeu na cabeça, o Delegado voltou a falar.

-É um honra finalmente conhece-lo, senhor Lancaster. Houvimos muito sobre você durante várias noites e todos da nossa família se perguntam como seria a sua aparência e como um dos mais notáveis membros do nosso clã iria se adaptar a cidade de Londres... Enfim, me perdoe pela maneira rude e pela intromissão, faço apenas meu trabalho. A região é bem perigosa e qualquer cainita extrangeiro precisa ser verificado com cautela...

_________________

I cried tear of love as I,
with sharp things,
sacrificed that which was the frist part of my joy,
my brother.

And the Blood of Abel covered the altar
and smelled sweet as it burned.

But my Father said,
"Cursed are you, Caine,
who killed your brother.
As I was cast out so shall you be."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Njörd

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 14
Data de inscrição : 16/10/2014
Idade : 26

MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Qua Out 29, 2014 2:00 pm

- Não interpretei de maneira errônea sua intromissão, vejo muito valor no cargo que possui dentro da seita e me sinto bem por ele ser preenchido por um de minha linhagem cainita. Em relação a Londres, já estive aqui, muitos anos atrás....porém, o tempo fez grandes mudanças na cidade.

Quando jovem, antes do Abraço, ele havia iniciado uma faculdade, na época queria estudar na área da ciência, mas o fato de não possuir uma familia abastada lhe afastou do objetivo, mas não o manteve preso no pequeno condado onde residia, assim o mesmo acabou tendo uma breve passagem por Londres.

Mas Rob não gostava daquele tipo de badalação, havia alcançado uma influência dentro do clã para demonstrar a capacidade que possuía como cainita e não para angariar fãs ou seguidores, quaisquer que fossem. Ter encontrado o delegado, havia sido algo bom, teria como absorver algumas boas informações do jovem cainita aproveitando-se do impacto que seu nome causou no mesmo.

- Entendo que você possui muitas tarefas meu jovem...bom, você não me disse seu nome...enfim, cheguei na cidade ontem e ainda não conheço todas as ruas e vielas deste bairro, poderia me acompanhar até a residência do primógeno?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Danto

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 74
Data de inscrição : 04/10/2014
Idade : 26
Localização : Vitória-ES

MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Sex Out 31, 2014 10:29 pm

O jovem gangrel urbano abre um sorriso de alívo no rosto e em seguida faz uma brevíssima reverências, que não foi nada além de juntar as mãos ao corpo e levar o tronco levemente para a frente.
-Bill Dixon. Meu nome é Bill Dixon, Sir Willian. Sim, o acompanho até a residência de nosso primógeno, não é muito distante daqui na real. Alias, você irá se acostumar com o carater mais público dos membros locais... É um costume local liberar pelo menos um endereço fixo de cada um de nós através de um pedido ao Senescal.

Comenta o jovem que então virava-se para começar a caminhar pelas ruas da cidade na direção dos aposentos do representante (Pertencetente a Camarilla) máximo do clã ao qual ambos pertenciam.

_________________

I cried tear of love as I,
with sharp things,
sacrificed that which was the frist part of my joy,
my brother.

And the Blood of Abel covered the altar
and smelled sweet as it burned.

But my Father said,
"Cursed are you, Caine,
who killed your brother.
As I was cast out so shall you be."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Njörd

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 14
Data de inscrição : 16/10/2014
Idade : 26

MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Sab Nov 01, 2014 2:40 pm

"Um endereço fixo liberado pelo Senescal? Mas qual a razão disto? Se o inimigo interrogar alguém que possua estas informações, a maioria da Seita estará vulnerável a ataques localizados..."

- Mais público? Isso não me soaria estranho se o Sabá não estivesse batendo a nossa porta, não acha? Enfim, isso são discussões futuras, vamos seguir para o refúgio do Prímógeno, ainda preciso me apresentar ao Príncipe esta noite também.

Rob caminhou até ficar próximo ao gangrel urbano, e fez uma menção com a cabeça que em qualquer lugar do mundo significava "vamos!".
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Danto

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 74
Data de inscrição : 04/10/2014
Idade : 26
Localização : Vitória-ES

MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Dom Nov 02, 2014 4:26 pm

O delegado do xerife de West End confirmou positivamente com a cabeça em "balançar" simples e rápido e então colocou-se a caminhar sem responder a questão feita pro Alfred, ele manteve apenas o "positivo" do asceno feito anteriormente como resposta e parecia que não iria adicionar mais nada. Depois de alguns poucos minutos e por passarem por ruelas estreitas, vocês dois entram em um beco escuro e sujo. O delegado segue pelo beco até chegar ao final do mesmo e sem maiores problemas salta por cima do muro.
-Vamos... É logo ali atrás.
Comenta o Gangrel urbano que terminava de saltar por cima do muro que não tinha mais do que dois metros de altura e não seria um obstáculo pro experiente cainita chamado Alfred.

_________________

I cried tear of love as I,
with sharp things,
sacrificed that which was the frist part of my joy,
my brother.

And the Blood of Abel covered the altar
and smelled sweet as it burned.

But my Father said,
"Cursed are you, Caine,
who killed your brother.
As I was cast out so shall you be."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Njörd

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 14
Data de inscrição : 16/10/2014
Idade : 26

MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Ter Nov 04, 2014 11:21 pm

"Um neófito com endereços de Membros importantes da Seita, por que isso me deixa alarmado?...Mithras, o que está fazendo...?"

Chegando ao pequeno muro, Willian observa o jovem xerife saltá-lo sem problemas, acostumado a quase meio século morando entre árvores e desfiladeiros, aquilo seria muito fácil para o ancillae. O gangrel quase esboçou um sorriso ao correr em direção a mureta e apoiar uma das mãos enquanto movimentava as pernas para cima, tentaria parar em cima do mundo primeiro, para observar o que havia do outro lado.

"Alguns moram em palácios...outros em becos escuros....o Mundo cainita é fascinante aos olhos de todos....ainda sinto falta da vida selvagem..."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Danto

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 74
Data de inscrição : 04/10/2014
Idade : 26
Localização : Vitória-ES

MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   Sex Nov 07, 2014 12:02 am

A primeira visão era a de um beco escuro sem nenhuma característica importante, mas logo Alfred reconheceu onde estava e que nenhum "qualquer" caminharia ali sem permissão para tal. Vocês dois estavam agoram de pé do outro lado do muro e a frente de vocês havia um pequeno corredor murado dos dois lados que terminava em uma porta de madeira velha, sobre os muros laterais era possível ver uma grande quantidade de corvos que observavam tudo em um silêncio mortal, além disso, toda a extensão das paredes laterais estavam com buracos em sua parte inferior, pequenos quadrados que possuíam exatamente o tamanho da forma lupina dos usuários de metamorfose. Era um beco de abate, os buracos nas paredes só eram visiveis quando se estava do lado deles e assim, um ataque surpresa seria facíl até pro mais inexperiente dos combatentes. O delegado caminha até a porta e a abre dando passagem para você.
-Eu não posso entrar nessa casa, ele já sabe que estamos aqui então, apenas entre e espere por ele. Okay?

_________________

I cried tear of love as I,
with sharp things,
sacrificed that which was the frist part of my joy,
my brother.

And the Blood of Abel covered the altar
and smelled sweet as it burned.

But my Father said,
"Cursed are you, Caine,
who killed your brother.
As I was cast out so shall you be."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado



MensagemAssunto: Re: Ato I - Alfred Willian Lancaster   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 

Ato I - Alfred Willian Lancaster

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

 Tópicos similares

-
» Willian Anderson
» [Rival] Willian constantine
» +Willian J. Kyusten Dubbler+
» FLETCHER, Alfred
» [Masculino] Quarto 2 - Eric Nelphein e Willian J. Kyusten Dubbler

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Área Abandonada :: Crônicas Antigas :: ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤVampiro: A Era Vitoriana :: A Cidade de Londres-