InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
Top dos mais postadores
Fractius (227)
 
Baqi (97)
 
Branca (91)
 
Danto (74)
 
King Werneck (29)
 
Frazz (20)
 
Njörd (14)
 
Richard Spencer (12)
 
Narrador NYC (11)
 
Rolador de Dados (10)
 
Os membros mais ativos da semana

Compartilhe | 
 

 ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Fractius

avatar

Mestre do Conselho
Mestre do Conselho
Mensagens : 227
Data de inscrição : 26/09/2014
Idade : 31
Localização : Salvador

MensagemAssunto: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Qua Nov 12, 2014 6:51 pm


☥ Londres - Lambeth - The Hellfire Club. ☥
• 17 de Dezembro de 1999, Sexta-Feira: 18h33min P.M.
• Turielith | Angelina Tufte: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria.




The Hellfire Club.

A Elohim podia ver o outro lado, mas era bem escuro e o som da música é um pouco abafado. Podia sentir sua mão transpassando aquela película gelada que lembra um gel de cabelo. Em seguida todo o seu corpo transpassa, sentido seus pelinhos ficarem arrepiados e o corpo sentiu aquele cala-frio sobrenatural. Em seguida quando olhou para trás, apenas uma porta de madeira com um grande vidro no centro, era espelhado e fechada. O que lhe chamou atenção foi um som bem perverso, era gemidos altos. Quando olhou para o seu lado esquerdo, notou uma mulher de costa, branca, cabelo negro e liso até as costas. Ela estava feliz e se movendo rápido enquanto cavalga ao colo de alguém. Ela pela primeira vez que vê aquilo se assusta. Ela percebe aquele pênis enrijecido entrando em velocidade na vagina daquela mulher ao fato das mãos pesadas daquele homem estar abrindo as nádegas da mulher que envolve com os braços o pescoço dele e os seios aparentemente presos ao rosto daquele homem. Ela esta usando uma loungerie de cor negra e bem sexy para o padrão perfeito daquela mulher.

Seu "Olá" chamou a atenção do homem que esta literalmente por de baixo daquela mulher. Ele parou e a mulher cheio de tesão e desejos resmunga dizendo:

─ Parou porque meu senhor... ? Sua escrava aqui ainda não esta totalmente satisfeita. Continue metendo em mim, por favor... -

Aquela cena para Angelina e Turielith foi de espanto. Mas a pequena mortal já presenciou coisas assim de anos atrás quando era bem pequenina, seus irmãos mesmos assistindo essas coisas pela televisão. E isso veio a mente do nada, como se fosse algo que estava na mente dela registrado a qual nem se quer lembraria. Mas a força da alma da Elohim a fez drenar aquelas lembranças e o coração bate ao ponto do nervosismo ao ver aquela cena e por sinal ao vivo. Então por de baixo da mulher que nem se quer percebeu a Caída naquele corpo de criança atrás, aquela voz forte e ao mesmo tempo serena:

─ Saia... Depois continuamos. Temos visita Mary... -

Ele retirou as mãos das nádegas da mulher, que de brancas estão bem vermelhas agora. Talvez tenha apanhado um pouco, assim pensa a inocência da hospedeira. O dedo indicador da mão do homem aponta em direção da garota que acaba de chegar no recinto e em má hora. A mulher olha para trás e arregala os olhos e um grito de assustada ao ponto de cobrir o par de melões com os bicos rosados. Se sentindo sem graça e desgruda sua vagina que por sinal ainda estava com o pênis daquele homem por dentro. Ela se levanta e cata as roupas ao chão rapidamente enquanto que o homem de cabelo negro, liso na altura dos ombros e um rosto fino e bonito por sinal. O que chama atenção de imediato da Elohim, são os olhos dele. Totalmente sobrenaturais, totalmente brancos e uma leve pupila avermelhada. Ela não lembra, mas tem certeza que já viu aqueles olhos em algum lugar de sua existência. Ele tranquilamente põe seu equipamento para dentro da calça preta social e fecha o zíper por último. A mulher lhe olha um pouco indignada por Angelina ter atrapalhado sua diversão e diz para ela:

─ Podia ter batido antes de entrar pirralha. Nossa, ficou ai observando... E uma dúvida, como você entrou aqui ? -

O rapaz apoiou o braço na mesa e seu queixo no topo da mão enquanto com um olhar frio observa de baixo para cima a pequenina, ignorando a mulher ao lado reclamando da ocasião e por fim ele desenhou um leve sorriso. Então voltou a olhar para a mulher, sua mão aplica um tapa na bunda da mesma que toma um susto enquanto terminava de por o seu vestido preto, curto e bem colado ao corpo. E agora o homem diz olhando para Lurielith:

─ Entendo... Uma das enviadas por Zorfiel. Sinto o cheiro dele em ti, pequeno anjo. Aproxime-se... E apresente-se. Mesmo que tenha chegado em uma hora imprópria, mas sua presença é mais importante do que satisfazer os desejos de minha escrava sexual. - Ele desenha um sorriso e olha para Mary e finaliza: ─ Ande logo sua puta. Saia daqui... Depois será punida, pelo Anjo de Deus aqui. HAHAHAHA... - A mulher sorriu em resposta, não se sentiu ofendida. Pelo contrário, ficou corada e gostou do que ele disse. Mas ao medo, se acelerou e pegou seu salto alto e saiu em pressa dizendo: ─ Certo mestre. Espero ansiosamente por ser punida por algo tão divino como o senhor. -

O homem nada disse, apenas mantém seu belo sorriso ao rosto. Seus olhos observam a mulher saindo e batendo a porta, logo o sorriso desaparece e com um olhar tedioso ele gira a cabeça em direção da Algoz. Agora a sós, aquele som de música. O lugar é todo de madeira e materiais antigos. Ao fundo do outro lado da parede, ela nota uma parede totalmente de vidro, é espelhado ao qual o proprietário dali tem a visão de todo seu espaço. E a voz dele calma lhe perguntando:

─ O que lhe trás até o The Hellfire Club ? Uma Rapinante ? Mas de todas as formas, eu Azazel o Príncipe da Miséria, lhe desejo boas-vindas à Londres e ao meu clube privado. -

Ele finaliza sorrindo sutilmente. Logo ele se levanta, ajeita melhor o seu blusão negro como as trevas, o peitoral bem aberto a qual ele começa a fechar os botões. Em seguida ele pega uma garrafa de Whyski e dois copos. Ele preenche até a metade para ele, logo lhe olha e mostra a garrafa se deseja beber com ele. Em seguida retornando a sentar em sua poltrona negra de couro.


Escritório Particular do The Hellfire Club.


_________________


Sou apenas uma criança perdida na escuridão, sou o anjo caído que mostrará a você o caminho para sua libertação!


Última edição por Fractius em Seg Nov 17, 2014 1:30 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://consilium.livreforum.com
Branca

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 91
Data de inscrição : 04/11/2014
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Qua Nov 12, 2014 8:31 pm

Foi um choque a visão daqueles sexo para Angelina. Como um relâmpago sensações ruins tomam conta do corpo da garota, é quase impossível conter a repulsa. Vejo os dois trocando amenidades que aos meus olhos parecem grosseiras. Sinto vomito subindo até a garganta, tento q todo custo conter. Tento pensar ou Angelina tenta em coelhinhos, gatinhos, cachorrinhos, mas a imagem se sobrepõe na minha cabeça, a vulgaridade da cena foi demais pra mente ainda traumatizada do corpo. Me sinto empalidecer, minhas mãos tremem.

Mantenha a calma Angelina, não é nada. Tento a todo custo confortar a mente que começa a ficar totalmente perturbada. tanto tempo esperando encontrar Azazel, pra quand encontra-lo ter aquela sensação de nojo.

- Desculpe a... interrupção... Eu por algum motivo esperava que você estivesse me esperando. Meu senhor... eu.

Respiro fundo. Maldição. Sinto Angelina se descontrolando É difícil, as palavras não saem como deveriam.

Calma, muita calma. Mas o pior é o cheiro de sexo que ficou no ambiente, aquele cheiro que e lembra o beco sujo e mal iluminado. Sinto lágrimas querendo sair.

- Sou Turielith, meu senhor. Desculpe o mal jeito.

Procuro com os olhos desesperadamente por um lixeiro. Vejo um lixeiro no canto da mesa. Não consigo reprimir o gesto pé mais forte do que eu. Respiro fundo.

_ Com licença, mas o que eu vou fazer não pode esperar.

Caminho até o lixeiro, tentando respirar, não dá, me ajoelho e vomito toda a comida e me vejo pensando no estranho da situação, não consigo controlar esses impulsos da Angelina, o choque da situação foi demais pra ela. Há uma briga interna. Estou com ódio, vergonha e panico.


Última edição por Turielith em Dom Nov 16, 2014 2:33 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fractius

avatar

Mestre do Conselho
Mestre do Conselho
Mensagens : 227
Data de inscrição : 26/09/2014
Idade : 31
Localização : Salvador

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Qui Nov 13, 2014 6:30 pm



Ela não entende o motivo, mas só por estar próximo daquele homem ela sente algo de atração por parte Elohim e ao mesmo tempo repulsa pela alma pura de Angelina. E aquela cena de sexo acabou despertando essa amargura ao ponto da ânsia de vômito a qual o seu destino foi a lixeira de prata ao lado. Depois de duas golfadas bem tensas, logo estava se sentindo melhor. Quando voltou a olha-lo, ela nota a expressão séria e a sobrancelha direita arqueada observando sua performance em vomitar. Então ele diz ironicamente:

─ Bem... terminou ? Turielith... seu nome não me soa familiar, mas se esta fora do fosso e segue os ideias dos Rapinantes... Já é um bom começo, mas agindo desta forma imatura e deixando as emoções de sua casca passar por cima de seus verdadeiros objetivos... Isso só indica uma coisa... Você é fraca para a nossa causa... Esta agindo como uma Reconciliadora... Diga-me que eu não me enganei... Estou certo ? -

Ele fala em tom sério, ela percebia que a cada momento o tom de voz de Azazel parecia aumentar sobrenaturalmente e os olhos brilhantes e profundos de um terror antigo. Ele pausou as mãos sob a mesa juntas e dedilhando rapidamente na medeira esperando uma resposta forte e convicta da Elohim. Ao fundo podia ouvir o som de música bem gótica misturada a um estilo trance. Bem interessante e diferente tanto para Angelina e Turielith, nunca ouviram algo assim.


Azazel, o Príncipe da Miséria e Ministro dos Rapinantes de Londres.

_________________


Sou apenas uma criança perdida na escuridão, sou o anjo caído que mostrará a você o caminho para sua libertação!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://consilium.livreforum.com
Branca

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 91
Data de inscrição : 04/11/2014
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Qui Nov 13, 2014 6:54 pm

- Me perdoe, meu senhor. Há problemas nesse corpo que eu tenho que sanar, infelizmente são provocados por situações sexuais... Não é uma história interessante. Não pretendo e nunca irei me voltar contra o que eu acredito e o que me levou a guerra. Os anos no abismo não atenuaram, ao contrário, me deixaram muito mais convicta. Essa convicção foi o que me levou a procurá-lo incansavelmente. Este corpo aparentemente frágil foi o único que se encontrava disponível, mas isso não faz de mim fraca e menos destemida a causa, muito pelo contrário, creio que é a originalidade desse corpo que me vai ser mais útil  nesse lugar onde a pureza e bondade são supervalorizados. É uma aparência fácil de passar despercebida, jovem, meiga. Não deixe esses olhos meigos enganarem, aqui dentro eu continuo feroz e totalmente entregue a nossa causa.

Sustento o olhar. Depois de esvaziado o estomago consigo controlar bem os sentimentos de Angelina. Não sinto mais o corpo reagindo daquela maneira e ser interpelada por Azazel me fez recobrar o controle totalmente. Foi a busca por Azazel que me fez sair do fosso, nada atrapalharia meus planos primordiais.

Me ponho ereta, junto os joelhos e descanso minhas mãos nas pernas, assumindo uma posição confiante. Nada mais me intimidaria ali.

- Não há nada que eu queira mais do que manter a minha fidelidade a causa, esse é meu único propósito.


Última edição por Turielith em Dom Nov 16, 2014 2:33 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fractius

avatar

Mestre do Conselho
Mestre do Conselho
Mensagens : 227
Data de inscrição : 26/09/2014
Idade : 31
Localização : Salvador

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Sex Nov 14, 2014 2:38 am



O Profanador apenas passeis os olhos brancos como a neve e aquela pupila vermelha e brilhante bem pequenina lhe cercando. As dedilhadas sob a mesa param no momento em que ela terminou de dizer suas palavras verdadeiras e ferozes como uma Algoz tem que ser. Isso fez brotar um sorriso de satisfação ao rosto do Rapinante Azazel. Logo ele encosta em sua cadeira e suas mãos passeiam por seu cabelo negro ajeitando para trás e volta a lhe dizer mais tranquilo e até simpático se pode dizer assim:

─ Agora sim, eu lhe reconheço como uma Rapinante. Turielith, deve ser de um posto tão baixo, por isso saiu do fosso e como minha mente ainda esta desfragmentada pelos séculos que estou na terra. Não recordo-me de seu nome. Perdoe-me por isso, mas de todas as formas seja bem-vinda e quem sabe possa ser reconhecida por mim. Antes que pense, é verdade... Eu sou um dos mais antigos aqui em Londres, sempre pulando de hospedeiro à outro. Atualmente estou nesta carcaça de Derek Johannes. E peço que me chame por este nome mortal a qual eu aprecio bastante. Minha chegada aqui foi em torno de 1749, ainda me lembro como se fosse ontem. Realmente a humanidade mudou bastante, estão mais egoístas e ao mesmo tempo brutos. Sobre essa brutalidade é que eu gosto de usa-los ao meu favor. Bem, chega de história... Você não veio aqui para ouvir isto. -

Ele continuou a sorrir, agora pegou em seu copo de Whisky e deu uma golada esperando Turielith absorver tais palavras. Ela sente o ar de liderança de Azazel é bem forte, realmente digno da alcunha que adquiriu no fosso como o Príncipe da Miséria. Boatos de que ele antes pertencia aos Reconciliadores. E ajudava os mendigos, tudo de que era miserável neste mundo decadente. Mas algo em seu passado o fez seguir os Rapinantes ferozmente. E isso ninguém sabe o motivo de sua troca devastadora. Logo ela escutou o som do copo dele batendo na madeira de sua mesa, isso chama sua atenção. Ele olhando ao vento continua a dizer:

─ Zorfiel deve ter lhe passado os problemas que a cidade vem tendo, certo ? Agora explica tudo, era você que estava tentando me invocar e apenas ignorei. Eu tenho bastante inimigos minha jovem Elohim. Não só de Caídos, mas de caçadores e até outros seres sobrenaturais. É uma disputa por poder filha da mãe aqui em Londres. Sabe que o Tirano desta cidade é o molenga do Príncipe Celestial, Beliel da casa Diabo. E um Faustiano que brinca de Deus. Ridículo, elevando apenas o seu próprio ego. E nós ? Que se foda... De todas as formas, vou mandar uma petição sobre sua saída ao fosso a ele. Infelizmente o desgraçado tem que saber, se não você não pode ser muito bem-vinda aqui. E eu não desejo isso, quanto mais de nossa Facção, melhor para nosso triunfo. Estou certo ? -

Ele agora cruza a perna direita por cima da esquerda, pega novamente seu copo com sua bebida e dá mais um suave gole. Com o objeto em mãos ele fica remexendo sublimemente ao ar esperando uma resposta concreta da Elohim que esta bem mais calma e melhor em suas convicções diante do Príncipe da Miséria.


_________________


Sou apenas uma criança perdida na escuridão, sou o anjo caído que mostrará a você o caminho para sua libertação!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://consilium.livreforum.com
Branca

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 91
Data de inscrição : 04/11/2014
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Sex Nov 14, 2014 3:57 am

Ouço o que Azazel tem a dizer. Talvez minha mente esteja mais desfragmentada que a dele, pois só consigo me lembrar do nome dele. Se existisse ainda o criador, ele foi um grande bastardo nos deixando assim quebrados e ao meio, colados por um fio.

- Pois bem, tanto melhor que este saiba de minha presença, pois agora que eu vim, desejo ficar para sempre - Um sorriso traiçoeiro escapa, ruborizando o meu rosto - Sim, era eu. Do que eu lembro do fosso era seu nome. O único nome que ficou na minha memória. Então eu chamava sempre que podia. Tive receio de que não estivesse me ouvindo. Zorfiel apareceu e me disse onde lhe encontrar e cá estou. Não como o esperado, não é mesmo? Dá para perceber que tenho certas limitações, mas isso não compromete em nada o meu desejo de caos. Se o mundo está ruim é culpa dele, não é mesmo?

Pauso um pouco para respirar. Fico tentada a beber o liquido, mas as vezes vejo que a mãe de Angelina bebe e fica alegrinha demais e sai dançando pela casa. Não entendo a sensação de gostarem de algo que anuvia os pensamentos. Mas sinto sede, eu esperaria até chegar em casa novamente.

- Eu quero saber o que eu posso fazer e se existe algo para fazer agora. Não vejo a hora de começar a me divertir de verdade nessa cidade. Quando aos perigos, eu não os temo. Desde a minha saída do fosso a unica coisa que eu quero é encontrar meus iguais, os rapinantes. É só nisso que eu consigo pensar. Juntos destruindo tudo.

Sorrio infantil só de pensar nos prazeres que isso me daria. Sorrio de modo a mostrar o belo sorriso meigo de Angelina. Despedaçar a alma daqueles infelizes me deixaria muito contente. Imaginar a cara deles vendo a doce mocinha fazendo isso seria muito mais divertido.


Última edição por Turielith em Dom Nov 16, 2014 2:32 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fractius

avatar

Mestre do Conselho
Mestre do Conselho
Mensagens : 227
Data de inscrição : 26/09/2014
Idade : 31
Localização : Salvador

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Sex Nov 14, 2014 5:48 pm



Os minutos se passavam, tanto para uma Elohim e o próprio Soberano Profanador dos Rapinantes. Parece que as últimas palavras da Turielith deixou-o mais animado. Ao ponto dele finalizar a sua bebida, ficando de pé e recolocando mais pela metade do seu copo. Tampou a garrafa, caminhou até a pequena adega no canto com várias garrafas de Whisky, vinhos e outras bebidas que ela nunca viste, com garrafas esquisitas, formatos artesanais e guarda a que estava em mãos. Se virou sorrindo, caminhou até a Terrestre colocou a mão vazia ao seu ombro, remexeu suavemente e fez um sinal com a mão lhe chamando. Ele começou a andar para o outro lado da sala e parou de pé, encostado na parede de madeira e olhando pela enorme vidro espelhado a qual ele tem acesso de toda sua boate, dali do segundo andar. Ela ao olhar, nota aquelas luzes psicodélicas de vários tons de cores, desde o azul ao vermelho. Ele espera a jovem se aproximar e faz um movimento com a mão que segura o copo ao ar, formando um suave círculo e diz:

─ Estou começando a gostar de você Turielith, da casa Algoz. Você demonstra pureza e ao mesmo tempo podridão dentro de si. Mas eu lhe entendo, ficar preso no Abismo infelizmente nos faz pensarmos e sentirmos assim. Mas quando nos vinculamos aos hospedeiros e depende de qual. Podemos estar errados em algumas questão da humanidade, nem todos merecem a morte, mas noventa porcento sim, devem todos morrerem ou serem meus servos. Que nem Mary, aquela amiga que estava se divertindo, minutos atrás. E desculpa se eu fiz lembrar de algo, não foi minha intensão. -

Olhou para a Caída em um tom de ironia, como se tivesse falado para provocar. Talvez seja um teste, a qual deixar de sua casca as vezes tomar a dianteira do processo. Ou possa ter sido realmente de propósito. Vai saber, né ? Logo bem próximo do vidro, ela percebe um enorme salão, palcos com pole dance, balcão para servir a clientela. Tudo bem alinhado, mas quase que totalmente vazio, apenas os funcionários testando o som, e dando os últimos ajustes antes de abrir é o que parece.


Parte Interna do The Hellfire Club.

Ele fica um pouco pensativo olhando para o interior de sua propriedade. Esperando a jovem dizer algo em resposta sobre suas palavras. Em seguida ele finaliza:

─ Bem, tem um serviço sim que poderia fazer para ajudar a causa. Azrael, conhecido como; A Morte Negra, O Flagelo... o Destruidor de Almas e outros nomes. Ele pertence a sua casa, um Algoz. Um Elohim com muitas capacidades, mas ele esta neutro nesta nova guerra. Stephen Bennett é o hospedeiro a qual ele se infiltrou. Tenha cuidado, este mortal era um sociopata maldito, fazia incesto com suas próprias irmãs e é um ex-militar do exército britânico. Não que seja um homem ruim, mas tinha desejos bem excêntricos. Só não entendo o porque de Azrael ter escolhido este corpo, logo ele. -

Este nome Elohim não é familiar, mas algo diz em sua mente já ter ouvido ele em outra aurora. Assim como a alcunha Morte Negra não é diferente. Martela em sua mente, mas não sabe o porquê não de lembrar, apenas o som da morte ecoa agora em sua mente de lembrança, mais nada. Então Azazel continua:

─ Detalhes simples... Não use Evocação, evite pensar no nome dele para isso. Ele esta fugindo, não atende a nenhum chamado. A última morada dele era no centro de Londres, vazia hoje em dia. Parece estar fugindo, mas de quem ? Você pode tentar com mais facilidade chegar nele e convence-lo a se juntar a nossa causa. Talvez usando as irmãs, você de alguma forma pode chegar nele. Seja esperta... Diana Bennett , trabalha como Âncora em uma TV local chamada Eyes London Naction. Fica em City, bem no centro financeiro desta cidade. Ou temos a Neuro-Cirurgiã Julie Bennett a ninfeta do triângulo amoroso e proibido. Tem anos isso, não sei agora a relação amorosa deles após o Elohim ter entrado no corpo deste idiota. A jovem trabalha no St Thomas' Hospital. Fica em Westminster, quase no centro. Tanto um ou outro é quase a mesma distância. Desejo-lhe sorte, será bem recompensada após o seu exito, pode ter certeza disso. E uma coisa, se ele não aceitar, não exite em brincar com as irmãzinhas dele se for necessário, de todas as formas é o ponto fraco de Stephen. Até quando eu seu, era, mas é isso. Pode-se retirar. Mas antes, tem ainda algo a perguntar-me, alguma dúvida ? Turielith, da casa Algoz e soldada dos Rapinantes. -

Ele fica lhe olhando como os galãs de novela a qual Angelina costumava assistir. Dando mais um gole em seu copo, desta vez mais violento bebendo quase tudo. Esperando calmamente a resposta da Terrestre. E agora, a primeira missão foi dada entre os Faustianos. Então recrutar os outros, é sua nova missão e dado pelo Ministro, isso é para honrar de pé. Seria possível converter o Algoz para sua causa ? Se ninguém até hoje conseguiu, durante esses cinco anos a qual o Elohim chegou em Londres.


_________________


Sou apenas uma criança perdida na escuridão, sou o anjo caído que mostrará a você o caminho para sua libertação!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://consilium.livreforum.com
Branca

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 91
Data de inscrição : 04/11/2014
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Sex Nov 14, 2014 7:54 pm

A reação de Azazel me pegou de surpresa. Ele parecia mesmo contente. Qiando ele se aproxima e coloca a mão no meu ombro, eu arrepio. Depois do ocorrido no beco qualquer toque não era bem vindo, ainda mais masculino. Mas consigo conter a repulsa da mão masculina no meu ombro. Estava começando a pensar que o pai e a mãe tinham razão... talvez falar com um médico psiquiatra fosse uma solução boa. Falar com a amiga não dava mais resultado. Ela geralmente chorava junto e não havia clima para aquilo. Ao mencionar a cena de sexo, eu apenas franzo o cenho, já havia contornado a lembrança, mas creio que ele seja um provocador.

- Certamente não foi agradável. Esse corpo é muito jovem e muito traumatizado com isso, mas co o tempo isso não a chocará mais. De fato, ela é muito pura, mas pelo que eu entendo, tudo o que é bom de verdade desse mundo, logo é corrompido pelos seus. O que frustra é saber que a guerra começou por conta desses parasitas traiçoeiros. Não tem a sensação de que não tenha valido a pena? Mas que agora vale, nem que seja para acabar com eles? Esses vermes malditos?

As palavras são sinceras. Não havia piedade esperando as pessoas lá embaixo. Nenhuma comiseração, nenhuma vantagem.

- Incesto? *Rio* Não é engraçado o que as criaturas de deus fazem aos seus pares? Será um trabalho que aceitarei de bom grado fazer, senhor. Farei tudo o que estiver ao meu alcance.

Realmente não me recordo de Azazel, me pego pensando em o por que dos nossos nomes soarem tão engraçados: Azazel, Azrael, Beliel, Zorfiel... Gabriel, Miguel... Israel é = era um dos nossos? Não sei, a mente de Angelina não era muito boa com essas coisas, acho que por ainda estar na escola ela não tem conhecimentos tão aprofundados. Acho que eu precisaria investir na educação dela.

- Não é uma duvida. Na verdade é uma coisa muito idiota. Nós nos comunicaremos dessa forma usando a chave de Zorfiel ou poderemos usar outros meios? Se for pra usar outros, quais? E no caso dessa moradia de Stephen Bennet, pode me dar o endereço?

Seria mais fácil começar a minha busca pelo ultimo local onde ele morou, talvez houvessem pistas.


Última edição por Turielith em Dom Nov 16, 2014 2:31 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fractius

avatar

Mestre do Conselho
Mestre do Conselho
Mensagens : 227
Data de inscrição : 26/09/2014
Idade : 31
Localização : Salvador

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Sab Nov 15, 2014 2:32 am



O Profanador parecia realmente estar contente com o entusiasmo da Algoz. Mesmo ela estando em um corpo de criança, ele a trata como uma Terrestre. Independente da carcaça, como a sua ser de uma criança. Ele ouve tranquilamente as palavras de Turielith enquanto bebe o seu Whisky como um bom anfitrião. Ele lhe responde de suas primeiras palavras:

─ Não se acanhe jovem Turielith... Logo você vai estar no controle, fazendo os desejos de nossos hospedeiros, sempre estaremos em paz conosco mesmo. Depois é só o nosso lado Elohim falando mais alto. E lembre-se, evitar ao máximo revelarmos aos mortais. A não ser que seja para roubarmos um pouco de suas esperanças, a preciosa fé. Logo iremos dar um jeito nesses humanos, como você mesmo disse Algoz... vermes malditos. Gostei desta palavra. -

Em um gesto de camaradagem ele estende o copo como um cumprimento. E realmente as palavras dele, sempre soam com verdades para a Caída. Isso até conforta a alma de Angelina, logo ela sente que o controle será permanente, mas deixando os desejos antigos antes dela ser morta e suas emoções familiares, isso nunca poderá remover, são algo padronizado em todos os hospedeiros. Azazel voltou a beber, relaxado e olhando para o interior de seu clube e ouvindo o resto das palavras da celestial. Ele se vira rapidamente, finalizando sua bebida em um gole e passa pela caída lentamente em passos elegantes e voltando-se de costa até a mesa onde estava e fala sorrindo:

─ É muito gostoso ouvir sua fidelidade a minha pessoa. Gosto de pessoas assim como você - Ele aponta para a pequenina quando diz o "você" no final, recolhendo a mão, se virando e apoiando o copo vazio na mesa, ficou do outro lado, mas não se sentou. Apenas apoiou as mãos na madeira da mesa, olhou para sua papelada e pegou um cartão e estendeu para a jovem para se aproximar e pegar. E logo ele continua:

─ Aqui tem o meu celular. Ligue-me quando concluir sua missão, lembre-se, não me ligue por bobagem e nem passe este telefone para ninguém. Peço que seja esperta. A antiga casa dele, não se preocupe. Já enviei pessoas ontem para uma investigação. E não acharam vestígios de nada. Mas a ressonância dele ainda estava preso lá no antigo apartamento. E mandei hoje de novo darem uma olhada melhor. A você eu peço que vá até o hospital ou ao prédio da emissora de televisão. Fica a seu critério por onde começar... Mas se insiste em ir na casa, tudo bem. Pegue... -

Ele pegou uma caneta e em um guardanapo ele anotou o endereço e lhe entregou. E sorrindo olhando-a e finaliza:

─ Espero que seja o mais rápida possível. Confio em ti, como vós confias em mim. Use a chave a qual Zorfiel lhe entregou. Ele me informou que a porta de frente a qual você sair use ela, deixara-la na viela ao lado do meu club. Ah, tome... - Ele abre uma gaveta, Turielith pode notar bolos de nota de libras e euro. Ele retira cinco notas de vinte libras e lhe entrega dizendo: ─ Para um táxi, ônibus, metrô o que for. E coma algo pelo caminho. Disfarça, seja uma criança, talvez consiga as coisas mais fáceis. E mais uma vez, boa sorte... -

Esperou Turielith aceitar o dinheiro, logo ele fecha a gaveta e desgruda da mesa e literalmente se joga em sua cadeira confortável, esperando ouvir as últimas palavras e suas ações. Ele parece estar confiando realmente na Elohim e ela será capaz de fazer o serviço rápido ? Já que Azrael parece ser bem durão e antigo.


_________________


Sou apenas uma criança perdida na escuridão, sou o anjo caído que mostrará a você o caminho para sua libertação!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://consilium.livreforum.com
Branca

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 91
Data de inscrição : 04/11/2014
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Sab Nov 15, 2014 3:37 am

-Espero mesmo um dia ter o controle total, certos sentimentos são ruins...

Ouço as informações com atenção. Pego o cartão e o coloco no bolso, depois pego o endereço.

- Obrigada pela confiança, agradeço o dinheiro, mas pretendo pagar de volta. A chave vai me ajudar a voltar até em casa de novo? Infelizmente tenho certas restrições pela minha família, só poderei sair depois de se sentar a mesa com meus pais. Se eu não estiver lá, vai desencadear uma crise em família e eu não suporto mais as reuniões para discutir essas coisas.

De qualquer forma, eu iria direto ao hospital logo que me livrasse dos meus pais. Se fosse o mesmo que o meu irmão prestava serviço como voluntário... uhmm, valeria a pena. Tento me recordar o nome do hospital, se fosse o mesmo teria uma desculpa aceitável.


Última edição por Turielith em Dom Nov 16, 2014 2:31 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fractius

avatar

Mestre do Conselho
Mestre do Conselho
Mensagens : 227
Data de inscrição : 26/09/2014
Idade : 31
Localização : Salvador

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Sab Nov 15, 2014 5:33 pm



Todos os detalhes e movimentos que o Soberano faz em sua presença, soa com graça e magnitude de um verdadeiro nobre Elohim que foi em sua era. E velhos costumes nunca se perdem. Ele ouvia as últimas palavras de Turielith, ele negou suavemente com a cabeça, estranho, algo que ela disse ele reprovou. Até o semblante mudaste para sério. Ao ponto dele do nada desaparecer de sua visão, apenas um vulto deixando um suave vento ao ponto de algumas papeladas da mesa balançarem e uma ou duas folhas lançadas ao solo. Quando sente as duas mãos em seus ombros vindo por de trás, isso deixa toda constrangida, principalmente vindo das mãos de um homem e ele cochicha, como se fosse um fantasma na orelha direita daquele pequeno e delicado corpo.

─ Espero que esse dia seja breve. Eu não tenho conhecimento da Doutrina do Caminho, tão equivalente quanto a Zorfiel. Mas creio que não vai conseguir voltar para casa com a chave dele. E lembre-se... Eu quero Turielith trabalhando para minha pessoa. E não uma garotinha mimada a qual esta vencendo essa batalha em seu interior. Seja firme em suas ações... Eu quero essa missão para ontem. Você decide... voltará para casa da mamãe agora ? Ou vai completar o que você realmente veio fazer aqui após sair do Abismo... ? Que és servir-me... E assim espero. -

Ele recua e retira as mãos, ele sorriu maliciosamente, mas não foi possível a Elohim notar este gesto no lábio de Azazel. Parece que ele foi bem convicto e quer realmente ajudar de uma forma que o Terrestre fica sob o controle absoluto, mas que na verdade sempre esteve. Ela não compreende que as emoções de Angelina que a trava as vezes e isso faz achar que é a hospedeira tomando controle da situação. Mas não é e isso que o Príncipe da Miséria quis passar, mas com outras palavras e mais em um porte intimidador. E depois de vasculhar na memória de Angelina, sabe que o hospital começa com St., mas não recorda de seu nome completo. Se for o mesmo que o irmão de sua carcaça trabalha, seria muito mais fácil de entrar.


_________________


Sou apenas uma criança perdida na escuridão, sou o anjo caído que mostrará a você o caminho para sua libertação!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://consilium.livreforum.com
Branca

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 91
Data de inscrição : 04/11/2014
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Dom Nov 16, 2014 2:30 am

-Eu estou inteiramente a sua disposição Azazel. Não só da sua, mas da nossa causa! Não sou uma criança mimada tampouco, não! Esse corpo não me domina desse modo! Só estou pensando na maneira de tudo sair perfeito e não estragar esse disfarce que me é importante, assim como o seu também te importa. Para o meu azar ou sorte não pude estar no corpo de um adulto, o que me dá restrições e também vantagens. Não vai adiantar me intimidar ou usar os seus truques comigo. Sim eu irei atrás de Azrael e no que depender de mim ele se juntará a nós. Eu só quero que você se lembre que a mesma guerra que você lutou eu também lutei, tivemos os mesmos inimigos e lutamos pelo mesmo lado, ainda que não tenhamos saído vencedores como pretendíamos. Sim eu irei agora, mas quero deixar claro que eu também tenho limites e que nem sempre poderei ultrapassa-los para não estragar quem eu sou aqui agora!

Ele me chamar de mimada realmente me irritou. Nunca fui mimada, nem creio que Angelina também tinha sido. E nisso ambas estávamos ofendidas. Sempre estive disposta a lutar pela causa, era a minha unica razão de estar ali, foi o motivo que me levou a sair do maldito abismo. Talvez eu não estivesse em posso de todos os meus poderes agora, mas estaria em breve, ninguém jamais me intimidaria, nem meus "superiores". Se nem o criador me intimidou durante a guerra, por que agora eu seria fraca? Por hora aceitaria as "ordens", mas em breve isso seria rediscutido. O ato de me tocar não foi nenhum pouco cortês. Sei lá onde ele tinha colocado aquela mão, na verdade sei... e nem quero lembrar. Creio que pensar isso me deixou vermelha, mas não era um vermelho de rubor.

- Estou indo agora atrás dele. Até.

Viro as costas e vou caminhando até a saída, seja lá onde for.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fractius

avatar

Mestre do Conselho
Mestre do Conselho
Mensagens : 227
Data de inscrição : 26/09/2014
Idade : 31
Localização : Salvador

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Dom Nov 16, 2014 9:24 am



Azazel ouve as palavras da encantadora Algoz. Ele se estica ao chão e cata os papéis que antes tinham voado ao solo. Ele os junta, bate suavemente ajeitando-os certinho e logo repousa sob a mesma. Os olhos brancos e avermelhados do Elohim vão direto aos olhos de Turielith. Ela não entendeu, mas um cala-frio esquisito percorreu a alma da Terrestre. Logo parou e ele começou a gargalhar, ao ponto de dar um tapa na superfície da mesa. Demorou nem cinco segundos, ele ajeitou seu cabelo para trás com ambas as mãos, a risada soou como se a Rapinante teria contado alguma piada e não foi, ela realmente tinha se sentindo um pouco reprimida diante das palavras do Príncipe da Miséria. Então ele voltou a seriedade e comenta:

─ Os fatos são bem diferentes entre eu e você Turielith. Eu sempre fui um nobre, um dos mais formidáveis entre os da Casa da Imensidão, agora chamados de Profanadores. Sempre apreciamos da beleza e do mistério que habitavam as profundezas do oceano e o enchiam de beleza e mistério para cativar e fascinar os seres humanos que ainda estavam por vir. Eu era um campeão, conhecido como o Príncipe do Mistério. Acha que por ter tido na rebelião teria mais trauma da Idade da Ira do que eu ? Não seja tola pequena. Não estou aqui para desmerecê-la e sim que entenda qual é a sua posição nesta guerra da minha. Em Londres, eu sou o Soberano dos Rapinantes, sua lealdade é importante e sem fraquezas, somos os verdadeiros senhores deste mundo. E os humanos tem que nos temer. Lembre-se dessas palavras. Entendo que a máscara é importante, sei que conseguirá dar o seu jeito... Turielith. -

Parece que as palavras da soldada Elohim, de alguma forma ofendeu o Ministro da Pentarchy que ergue a bandeira pelos Rapinantes. Literalmente foi um jogo de trocas de palavras, como ele a fez com ela minutos atrás. Mas, ela agora percebeu o contexto de que ele que é o superior. A hospedeira entendeu o recado. Então Azazel estendeu o dedo indicador da mão direita em direção da porta e finalizou mais tranquilo:

─ Boa sorte, pode se retirar. Use a chave do Anjo do Desconhecido. E lembre-se, a porta de frente, assim como ele me auxiliou.

Ele desceu a mão, junto da outra em cima da mesa e aguardou que a Caída se retirasse e completasse seu objetivo. Logo escolheu o hospital como alvo e torcer que seja o mesmo de seu irmão. Ela lembra que tem o celular dele, talvez poderia ligar para ter uma confirmação ou iria arriscar  naturalmente.


_________________


Sou apenas uma criança perdida na escuridão, sou o anjo caído que mostrará a você o caminho para sua libertação!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://consilium.livreforum.com
Branca

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 91
Data de inscrição : 04/11/2014
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Dom Nov 16, 2014 5:33 pm

Deso e me vejo do lado de fora do Hellclub. Uso o celular que ganhei para fazer a ligação para Julien.
O aparelho conhecido como um dos melhores na época, o modelo J-sho4, presente dado pelo pai meses atrás, no dia que ela sumiu por horas de casa. Disco o numero do irmão e espero ele atender.

- Julien? Você por acaso é voluntário no hospital St. Thomas? É para uma pesquisa da escola.

Ele parece surpreso com a ligação, mas nem tanto. Angelina costumava pedir ajuda com os trabalhos da escola para ir irmãos, exceto Emily. Uma vez ela havia feito a menina acreditar que o monstro do Lago Ness era real em um trabalho de redação sobre as criaturas fantásticas do Reino Unido... Independente da resposta vejo se tem algum táxi passando e aceno. Precisava pensar numa história para entrar no hospital, mas nem era tão complicado. Os adultos não parecem se importar tanto com crianças, as vezes eles nem parecem perceber suas presenças se são quietas ou uma lábia boa. Claro que se me irmão fosse voluntário tornaria tudo muito mais fácil, era só ir lá visitá-lo. Desviar um pouco do caminho e encontrar a sala da médica Julie Bennet. Quem sabe ele não deixaria escapar algo mais? Era o irmão mais próximo e carinhoso, e o parente de mais fácil acesso na família.

_________________
"a cerca já era coroa de rosas entre chifres do touro" - Nenpuku Sato
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fractius

avatar

Mestre do Conselho
Mestre do Conselho
Mensagens : 227
Data de inscrição : 26/09/2014
Idade : 31
Localização : Salvador

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Seg Nov 17, 2014 12:45 pm



Turielith ouviu as últimas palavras do Senescal da The Hellfire Club, o ambiente privado entre os mais luxuriosos e magnatas da cidade viam para este tipo de lugar, para realizar todos os seus desejos proibidos. Então a mesma facilmente pegou a chave que Zorfiel lhe entregou, ela brilhou da mesma fora e se moldou para a fechadura da porta a qual ela chegou. A mesma coisa, passou pela película gelatinosa e chegou aquele mesmo corredor acinzentado. E foi diretamente na porta de frente. Quando a abriu, era diferente, como se um vácuo lhe puxa-se e assim o fez cair em um lugar escuro, gélido e fedido. Quando se dar conta é um beco, sujo e imundo. Olhando para trás é sem saída, sua lateral esquerda uma porta de aço fechada, escrito 'EXIT' em um brilho vermelho. E que parece ser a lateral do club mesmo. Do lado direito, apenas um muro de cimento escuro, torno de uns seis metros de altura e cerca elétrica. E do outro lado, um prédio aleatório. Vários sacos pretos de lixo, próximo aos pés da Elohim, até o som de um rato, e ele passeou entre suas pernas. Não era um rato qualquer e sim uma ratazana que se assustou com o aparecer repentino da hospedeira e logo adentrou em um gradeado do chão que dava acesso aos esgotos. Sua única é à frente. Coisa de seis metros de beco para voltar até a calçada e assim ela o fez, já puxando seu celular para ligar ao seu irmão mais velho e assim o fez.

Efeito de Cena

Enquanto isso dentro do escritório da The Hellfire Club, quando Turielith passa pela porta, o homem aparentemente fica a sós. Então as paredes do lugar começam a surgir runas em Enochiano a língua de todos os Elohim. Isso faz o Príncipe da Miséria erguer uma sobrancelha e olhar desconfiado. Aqueles símbolos parecem surgir em brasas e logo uma voz bem diabólica no tom feminino em conjunto, como se saísse do mais profundo abismo:

─ Azazel... Azazel... Acha que esta Elohim irá conseguir trazer A MORTE NEGRA... para vocês, rapinantes... ?

O mesmo se levanta de sua poltrona e um pouco irritado pergunta:

─ Quem esta aí ? Como ousa, adentrar assim em meu santuário ! ? Maldito seja... -

O Príncipe da Miséria, começa aos pouco se revelar. Seus olhos astrais começam a surgir, como seu corpo iria começar a tomar uma outra coloração e o par de asas iria aparecer. Mas logo ele sente algo pressionando e o joga contra a parede. E junto aquele som de gargalhada de mulher mesclando ao diabólico e logo ela diz:

─ Insolente... como sempre Príncipe do Mistério... Não reconheces mas a voz de seu superior ?

Atualmente como o Príncipe da Miséria, ele se levanta um pouco atordoado e olhando ao redor, todo aquele calor escaldante, pareciam brotar dos símbolos, deixando todo o local como uma brasa gigante. Literalmente "assustado"em seus olhos, talvez seja Derick e não o próprio Elohim sentindo aquele medo. E ele assim mesmo diz:

─ Iriniel... é você ? Impossível... -

Outra gargalhada diabólica e logo a respsota:

─ Vejo que nunca esqueceu da voz de sua Mentora. Venho para dizer que sua causa pelos Rapinantes é fraca. Como todas as outras. A minha causa é nobre e diferente de tudo. O mundo vai cair em chamas, e todos que estiverem contra mim... Vão perecer, nem Deus ou Lúcifer... Irá ajuda-los. Hahaha... Você terá uma escolha... Junte-se a mim.. ou... voltará para o Abismo e desta vez... para o sempre. E mais uma coisinha... Já mandei meu servo ir até St. Thomas Hospital, fiquei sabendo de um familiar humano... de A Morte é Negra... Creio que sua Rapinante não chegará a tempo. HAHAHA... Já dei o recado, em breve eu volto para saber de uma resposta concreta. Logo eu terei um corpo... e Até... -

Gargalhada ao fundo, Azazel irritado e medo ao mesmo tempo. E dizia ao vento:

─ Não ! Não ! Espere ... ! Impossível, a Baronesa do Prazer, aqui ! Então aquele Alto Tormento tem algo a ver com vossa senhoria ? - -

Mais gargalhadas e labaredas de chamas quase acertam o Príncipe que desvia com facilidade. E logo a voz diabólica:

─ Vamos dizer que sim... É apenas um começo, logo ele também estará aqui... Prepare-se... Quem estiver em nosso caminho, será eliminado pelas chamas e tudo se tornará CINZAS ! -

Em seguida os símbolos, chamas, tudo desaparece. Deixando normal como esta. E o Rapinante de joelhos ao chão com a cara de quem viu a pior coisa de todos os seus malditos séculos no mundo físico e falava sozinho para si mesmo:

─ Não... não... impossível... Preciso contactar aos outros Ministros. Uma nova guerra... Mas Iriniel... Minha mentora, minha mãe das água doce do mar... Profanadora que nem eu. Achei que estivesse sido destruída, pelo suas pertubações... O que esta acontecendo... ? Turielith tem que ser rápida e forte... Os Rapinantes, tem que vencer. Jamais irei me rebaixar assim de novo. -

Olhou para o teto, como se procurasse respostas e sem entender. E se levantou com um seblante mais malicioso e sério. Talvez ele tenha um plano ou se juntará a causa da Profanadora Iriniel, a Baronesa do Prazer.

Fim do Efeito de Cena...

Enquanto isso já fora do beco, próximo a um ponto de táxi. Ela tentava ligar e nada só caia na caixa postal e a mensagem dizia: "Neste momento estou ocupado ou trabalhando. Deixe seu recado que logo retornarei. Obrigado." Então o ponto estava vazio, mas virando a esquina ela nota um carro chegando ela faz sinal e o mesmo para. Abrindo o vidro, era um homem de idade, na faixa de seus sessenta anos, cabelo grisalho, mais branco do que cinza escuro. Ele sorri e pergunta:

─ Boa noite mocinha. O que faz a esta hora na rua ? Entre... E deseja ir para aonde ? -

Ela ouve o som da porta traseira se destrancando e espera ouvir e ver a reação da Terrestre. Tinha uma missão importante e agora ela sente pela redondeza alguma coisa aconteceu ali próximo. Sentiu algum tipo de poder ter sido manifestado. Mas logo sessou, não durou nem um minuto e aquele cala-frio desapareceu junto que surgiu no momento em que sentiu isso. parecia ter vindo do Clube. Que agora estava de frente e do outro lado. Tinha uma pequena fila para entrarem no lugar. Humanos patéticos. Todos bem vestidos e entravam rapidamente.


_________________


Sou apenas uma criança perdida na escuridão, sou o anjo caído que mostrará a você o caminho para sua libertação!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://consilium.livreforum.com
Branca

avatar

Jogador
Jogador
Mensagens : 91
Data de inscrição : 04/11/2014
Idade : 29

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Seg Nov 17, 2014 1:10 pm

- Por favor senhor, me leve até o Hospital St. Thomas, o mais rápido possível. Obrigada!

Faço cara séria e preocupada. Todos os dias faço testes novos de mentirinhas nos humanos, até o ponto de ficar expert em fazer cara de choro. Era só mais um jogo divertido, coisinhas pequenas. Fingir seriedade, quando na verdade estava me divertindo, lágrimas de crocodilo... para comover o pai...

- Pegue o caminho mais rápido, que meu irmão está me esperando, tá?

A minha pressa nada tem a ver com Azazel. Estou pensando na minha "mamãe" me esperando para comer e eu no banheiro, tomando o banho mais demorado do século. Eu realmente não queria passar pelo processo da reunião de família, era uma tortura, ao mesmo tempo conflitante, pois nessas horas eu desejo matar a todos. Essa seria a segunda fugidinha desde o dia fatídico... Papai tentaria me analisar e no fim diria: "Jocelyn ela está virando uma adolescente, se acalme mulher". Então a noite, ela beberia o gim escondido e eu teria vontades de empurrá-la da escada...

Penso em tudo isso enquanto o homem dirige.

_________________
"a cerca já era coroa de rosas entre chifres do touro" - Nenpuku Sato
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Fractius

avatar

Mestre do Conselho
Mestre do Conselho
Mensagens : 227
Data de inscrição : 26/09/2014
Idade : 31
Localização : Salvador

MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    Seg Nov 17, 2014 1:28 pm


_________________


Sou apenas uma criança perdida na escuridão, sou o anjo caído que mostrará a você o caminho para sua libertação!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://consilium.livreforum.com
Conteúdo patrocinado



MensagemAssunto: Re: ۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~    

Voltar ao Topo Ir em baixo
 

۞ Turielith: Arco I, Ato II: Azazel, O Príncipe da Miséria. ~

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

 Tópicos similares

-
» [Ficha] Azazel
» Ficha Azazel
» Azazel Saphyruz
» Os primordiais
» Stages of Blood - Treinamento para Sátiros, Indefinidos, filhos de Hefesto e filhos de Herácles

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Área Abandonada :: Crônicas Antigas :: ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤDemônio: A Queda :: Demon: Diabolical Mind-