InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se
Últimos assuntos
Top dos mais postadores
Fractius (227)
 
Baqi (97)
 
Branca (91)
 
Danto (74)
 
King Werneck (29)
 
Frazz (20)
 
Njörd (14)
 
Richard Spencer (12)
 
Narrador NYC (11)
 
Rolador de Dados (10)
 
Os membros mais ativos da semana

Compartilhe | 
 

 Venetia - Franco A. Giovanni, Ato 1

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
King Werneck

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 29
Data de inscrição : 13/11/2014
Idade : 27

MensagemAssunto: Venetia - Franco A. Giovanni, Ato 1   Qui Dez 18, 2014 2:01 pm

Ato I






Outono, 1453


Izabel andava com um passo hesitante. A mesma seguiu as instruções de Franco e parou de caminhar logo na frente do corredor do segundo andar. A mesma deu um sorriso e permaneceu ali, apenas esperando. O caminho a frente estava claro, como se uma voz o chamasse. Era um corredor escuro com suas paredes de pinho escuro. A única luz que podia ser vista vinha da fresta da porta que se encontrava logo no final de tal corredor. Um tapete Otomano decorava o caminho até esta porta.

Franco sabia porque estava ali. Era seu principal objetivo dês do momento que acordará. Era mais que isso, era seu objetivo em toda sua existência. Prestar sua lealdade com seu superior. Ainda mais depois de tanto tempo com as lendas do Monstro Giovanni assolando a cidade. Era um momento para decidir seu futuro. Acertar as contas e saber como trilhar seu caminho. Valérius Giovanni estaria do outro lado daquela porta apenas esperando.

Assim, sem mais surpresas o ancião recém desperto abre a porta para finalmente se encontrar no escritório de seu superior. Com uma mobília de ébano talhada com a melhor qualidade e uma decoração colorida entre o vermelho o dourado, o roxo e o preto. Neste aposento digno dos maiores imperadores estava todas as grandes ostentações da família. Afinal todo o dourado daquela sala era ouro. Os brilhantes eram pratarias e jóias. O exótico vinha de dinastias chinesas e indianas. As taças eram do cristal mais puro. Mas o ouro era o mais chamativo. Relógios de ouro, molduras douradas de quadros maravilhosos de deuses romanos, pratos muito mais. Todavia não era ouro ou prataria alguma que tirava a atenção de Franco do homem sentado por detrás da escrivaninha. Talvez o homem mais poderoso de todo aquele reino. Valérius Giovanni.

Spoiler:
 

- Demorou demais para atender às minhas ordens e se apresentar.

_________________
Aquele que morrerá com uma espada na mão.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Danto

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 74
Data de inscrição : 04/10/2014
Idade : 26
Localização : Vitória-ES

MensagemAssunto: Re: Venetia - Franco A. Giovanni, Ato 1   Sex Dez 26, 2014 8:38 pm

Dentro da mente de Franco passavam as lições dadas por seu Senhor durantes as suas primeiras noites entre os filhos da Caim, naquela época eles ainda não se consideravam Giovanni, eram herdeiros do sangue da capadócia e dos estranhos membros apaixonados pela morte. Franco nunca gostou deles e nunca gostou de carregar aquela herança sanguinea, assim sendo, a maior felicidade de sua não vida foi acordar em um mundo onde os Giovanni haviam se tornado um clã, uma força capaz de reger qualquer grande cidade no mundo, não eram mais apenas uma linhagem... E como ancião do clã ele tinha obrigações, obrigações que o impediriam de correr pelas ruas da cidade como bem entendera (como fez anteriormente).
Assim, com muito orgulho ele deu a ultima olhada para sua nova prole e sorriu de maneira carinhosa, para enfim caminhar até o final daquele corredor escuro e adentrar o sala luxuosa e dourada de Valérius Giovanni.

-Boa noite meu Senhor, apresento-me a ti esta noite. Sou Franco Giovanni, prole de Claudius Giovanni, prole de nosso Senhor, patriarca e progenitor Augustus...

Disse primeiramente Franco com toda a educação que possuia, comportando-se exatamente como seu Senhor sonhava em vê-lo diante os demais de sua família: Como o herdeiro de Claudius e um dos mais puros dentre seus irmãos.

-Perdoe-me pela demora, a cidade se transformou em algo inusitado e grandioso. Além disso, cada pedaço me fazia recordar de tempos que nunca irão retornar, é curioso acordar de um sono que deveria ser eterno meu Senhor... Mas acredito que você, como irmão de meu Senhor, deve conhecer perfeitamente essa história e minha linhagem. Assim sendo, permanece apenas com o pedido de perdão diante minha demora e ofereço a ti meus conhecimentos e forças para usa-las como desejar.

_________________

I cried tear of love as I,
with sharp things,
sacrificed that which was the frist part of my joy,
my brother.

And the Blood of Abel covered the altar
and smelled sweet as it burned.

But my Father said,
"Cursed are you, Caine,
who killed your brother.
As I was cast out so shall you be."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
King Werneck

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 29
Data de inscrição : 13/11/2014
Idade : 27

MensagemAssunto: Re: Venetia - Franco A. Giovanni, Ato 1   Seg Jan 12, 2015 10:56 pm

Valérius Giovanni tinha uma aparência imponente. Sua pele clara como o mármore ressoava com seus cabelos dourados como o ouro que possuía. Os olhos verdes pareciam como grandes poços de esmeralda. Seu nariz era reto e triangular como dos famosos bustos ancestrais dos Romanos que uma vez dominaram o mundo conhecido. Seu cabelo e barba foram imortalizados em uma posição de perfeição, mostrando tanto um ar de força quanto de respeito. Era um homem de uma postura muito forte e radiante. Tido por suas riquezas incalculáveis por todas as terras do Mediterrâneo, o mesmo se mostrava estar digno de tal proclamação. Usava como traje uma armadura tão decorada que fazia o aparentar um grande cavalheiro de uma imponente prosa de um bardo. Com desenho de dragões e deuses romanos ao redor do metal rubro escurecido de seu peitoral. O dourado e o ébano também eram elementos muito marcantes em sua vestimenta. Os mesmo contrastavam com um forte escarlate que aparecia entre as juntas de suas placas metálicas.

Seus olhos se mostravam severos o tempo todo. Depois de um longo intervalo das últimas palavras de Franco o mesmo franziu sua testa, aproximando uma sobrancelha da outra, para finalmente apreciar um gole de sua taça de sangue. Era uma taça de cristal, onde o sangue nesta parecia brilhar. Todavia o gole deste sangue não foi feito com sutileza, mesmo não desafiando os costumes  da etiqueta. Foi um gesto seco que terminou com o punho do meso levando a taça para a mesa até esta gerar um som oco. Assim finalmente o mesmo se engajou na conversa. Sua voz autoritária e pesada podia ser ouvida à uma distância considerável, o que era uma habilidade intrigante, afinal o mesmo não gritava e nem parecia estar se mostrando rude ou estressado.

- Sua demora é imperdoável, como sua existência por completo. Mas não me prenderei em assuntos que não me levarão à lugar algum. Você não está aqui por acaso. Preciso descobrir quem violou a privacidade de nossa família para despertá-lo. Este assunto é de longe de suma importância. Mas não será você que responderá por ele. De você, Franco Arcângelo Giovanni, espero apenas que se mantenha em asilo eterno. Desperto ou não. Desta ilha não almejo que retorne à sair. Na extremidade desta há uma propriedade ao qual exijo que seja teu descanso até o final dos tempos. Ninguém ira pisar neste lugar enquanto você ainda estiver amaldiçoado. Assim vai ser e assim será para todo e todo o sempre.

_________________
Aquele que morrerá com uma espada na mão.


Última edição por King Werneck em Ter Jan 13, 2015 9:12 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Danto

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 74
Data de inscrição : 04/10/2014
Idade : 26
Localização : Vitória-ES

MensagemAssunto: Re: Venetia - Franco A. Giovanni, Ato 1   Seg Jan 12, 2015 11:22 pm

Franco escutou todas as palavras ríspidas ditas por Válerius enquanto olhava para seu rosto antigo e de traços romanos, todo luxo do ambiente e toda a pompa do antigo cainita certamente fariam um neófito ou ancillae se evaporarem de medo, suarem sangue e gaguejarem uma resposta submissa qualquer, talvez até mesmo um ancião tradicional se curvaria diante do grande cavaleiro que se colocava acima de tudo e de todos. Mas esse não era o primeiro Quinta Geração a esbravejar na face de Franco e esse não seria o último, no exato momento em que Valerius terminou a sua frase, Franco sorriu como se ouvisse uma piada chata, quase que um sorriso simpático de aprovação.

-Muito me surpreende não ter sido você o responsável pela minha libertação, até então acreditava que era. Engraçado não é mesmo? Você deveria ser o único capaz de me despertar do meu sono forçado, afinal, és o único com sangue tão potente. Assim deveria ser, tudo fica mais hilário quando a história chega ao seu ápice, eu fui despertado dentro da minha própria cripta, sem conhecimento do seu escolhido como guardião, Casso. Só consigo imaginar o espanto que minha mensagem tenha causado ao seu coração, por isso entendo e compreendo a sua palavra que exige meu aprisionamento nessa ilha... Mas sinto lhe dizer que não será possível e eu não ficarei preso aqui. Escute minhas palavras, Valerius J Giovanni, você tem o meu respeito por ser prole de Augustus e unicamente por isso e sabes que minha punição já foi dada e somente nosso patriarca pode me destruir com total autoridade para o fato, meu ritual certamente chegará aos ouvidos dele e ele saberá do meu retorno. Não se esqueça quem sou, não se esqueça do que sou capaz, você não sabe da existência de um Quinta geração que soube a localização de uma das criptas mais secretas e veladas de toda nossa família, será que Augustus o perdoará pela falha? Não seja tolo de aprisionar o único aliado verdadeiramente poderoso que você tem nessa cidade. Afinal, todos um dia temeram a minha existência e não a sua, correto ?!

_________________

I cried tear of love as I,
with sharp things,
sacrificed that which was the frist part of my joy,
my brother.

And the Blood of Abel covered the altar
and smelled sweet as it burned.

But my Father said,
"Cursed are you, Caine,
who killed your brother.
As I was cast out so shall you be."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
King Werneck

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 29
Data de inscrição : 13/11/2014
Idade : 27

MensagemAssunto: Re: Venetia - Franco A. Giovanni, Ato 1   Qua Abr 15, 2015 5:30 pm

Um olhar que aparentava ser sereno tomou conta dos olhos de Valérius. Todavia não foi tranquilidade que Franco sentiu. Foi um arrepio na espinha, um doloroso arrepio na espinha. Algo diferente de todos os sentimentos pesados que tivera naqueles dois dias despertado. Não foi nem na solidão de sua cripta ou enfrentando aqueles demônios do paradoxo que o mesmo sentiu um sentimento tão forte corroer seu corpo. Era uma sensação alienígena, uma sensação que não era de sua natureza sentir, mas mesmo assim o olhar de Valérius impulsionava aquele sentimento. E o mesmo sabia, se lembrava, que isto não era nada comparado com o que este era capaz de fazer. De certo modo havia uma estranha bondade no lorde veneziano. Um instante quase infinito depois tal sensação sessou.

- Depois de tantos séculos esqueci de sua ousadia. Acho que quando a poeira baixa apenas lembramos os defeitos... Se equivoca em achar que estou em maus lençóis. Minha autonomia nesta província é maior do que imagina. Só que está correto em uma coisa. Há falta de aliados à minha altura esses dias. Ainda mais com essa grande aliança que os sangue azuis andam fazendo. Preciso de mais alguém de peso nas nossas linhas. Por mais que não me satisfaça a ideia de vê-lo poder andar pela cidade novamente. Todavia isso não faz a situação totalmente inviável para mim. Então que assim seja. Considere-se livre para andar por onde queira. Mas saiba que acabei de contratar dois Assamitas e irei ordenar para ambos que o siga bem de perto, mas sem que você nunca os perceba. Meu plano original seria usá-los para ir atrás de respostas sobre seu despertar, mas aceito mudanças em meus planos... Está livre novamente Franco, mas será mais observado do que jamais foi.

_________________
Aquele que morrerá com uma espada na mão.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Danto

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 74
Data de inscrição : 04/10/2014
Idade : 26
Localização : Vitória-ES

MensagemAssunto: Re: Venetia - Franco A. Giovanni, Ato 1   Dom Maio 03, 2015 2:04 am

-Sou eternamente grato por sua benevolencia, grande patriarca de Veneza. Perdoe-me mais usarei minha liberdade concedida para ir embora agora. Mas antes, uma pequena notícia que acredito que deve ser passada a diante. Tenho uma nova prole, posso explicar as razões pelo abraço mas acredito que isso não o interesse. Ela me aguarda do lado de fora, é necessária uma apresentação foram diante a sua presença?!

Falou Franco de maneira educada, polida e até mesmo extremamente cheia de respeito. A verdade é que ele não aguentava mais aquela falsa postura de patriarca de uma família bizarra que Valerius se gabava em possuir, afinal, Franco só reconhecia uma figura como seu superior e Augustos não estava ali naquele instante.

_________________

I cried tear of love as I,
with sharp things,
sacrificed that which was the frist part of my joy,
my brother.

And the Blood of Abel covered the altar
and smelled sweet as it burned.

But my Father said,
"Cursed are you, Caine,
who killed your brother.
As I was cast out so shall you be."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
King Werneck

avatar

Narrador
Narrador
Mensagens : 29
Data de inscrição : 13/11/2014
Idade : 27

MensagemAssunto: Re: Venetia - Franco A. Giovanni, Ato 1   Ter Maio 12, 2015 12:15 pm

Valérius franziu com um ar atormentado quando ouviu a palavra prole. Todavia logo regressou para sua postura natural e finalmente tragou mais uma taça de vinho.

- Não tenho tempo para crianças da noite... Me apresente ela quando a mesma souber o que significa ser um Giovanni. E não face o mesmo erro da última vez, não foi uma boa experiencia lidar com sua antiga prole. Agora vá e me trague respostas!

Nenhuma palavra mais aparentava ser dita do ancião que se prendeu em outros afazeres espalhados por sua escrivania. Assim só restava atravessar a porta de madeira grossa para encontrar Izabel com um ar de ansiedade do outro lado. Só quando a porta finalmente fechou e ambos se afastaram do salão é que a mesma finalmente falou.

- O que aconteceu lá dentro Franco? Não tive um bom pressentimento...

_________________
Aquele que morrerá com uma espada na mão.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado



MensagemAssunto: Re: Venetia - Franco A. Giovanni, Ato 1   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 

Venetia - Franco A. Giovanni, Ato 1

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

 Tópicos similares

-
» Giovanni
» Amadeo Giovanni - Giovanni - Independente
» Amadeo Gilberti - Giovanni - Independente
» [FANFIC] Pokémon Revolution, a jornada de Brian e Letícia.
» Tristan Thorn (Folken Arkus Giovanni) - Giovanni

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
 :: Área Abandonada :: Crônicas Antigas :: ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤVampiro: Idade das Trevas :: Veneza By Night-